Glaucia Farias

transição capilar gláucia farias

A cada dia aprendo a lidar e a cuidar do meu cabelo!

Lembro bem, quando eu era pequena, ficava sentada e minha mãe penteava o meu cabelo. Eu chorava porque não queria porque ele ficava armado. Todas as minhas fotos de quando eu era criança, era com o cabelo preso, até parecia menino. Meu sonho era ficar com o cabelo igual da minha mãe, liso e lindo como ela.

Ainda muito nova, com 9 anos, eu já relaxava o cabelo, e com 14 fiz minha primeira progressiva. Nessa época, era muito caro uma progressiva e minha mãe vendeu o cabelo para pagar, isso tudo por mim. Eu, inocente, sem saber o sacrifício dela. Foi minha realização!

Então, fui feliz por anos ou, achava. Após uns 6 anos, queria parar com progressiva pois queria ver meus cachos, mas o vício da perfeição do liso perfeito não esperava nem os 3 meses já fazia outra. Fiquei uns 7 meses sem fazer química, não queria mais alisar. Mas, não aguentei, alisei de novo, então, depois que eu fiz progressiva no mesmo dia eu pensei: não quero isso para minha vida toda, olha isso que passo no meu cabelo, é um produto perigoso para que querer esse risco? Para agradar os outros? Para ser aceita? Para não ser xingada como fui quando criança de cabelo duro? Chega, não quero mais fazer. Aí, comecei a procurar coisas na internet, e descobrir grupos no Facebook, e comecei a usar todos os produtos.

Hoje, estou em uma luta diária, tem dias que sofro com autoestima. Estou com 1 ano e três meses nessa fase de transição capilar parando com a progressiva, e a cada dia aprendendo a lidar e cuidar dele, amo esse cabelo e não quero desistir dele porque seria desistir de mim.

transição capilar         

Antes                                              Depois

Consumidora: Glaucia Farias

Websérie Mulheres em Transição: 6° episódio

Conheça nesse 6° episódio da websérie “Mulheres em transição” a história da Priscila, uma história de autoconhecimento e amor. Ainda quando adolescente ela optou pela química como forma de passar despercebida e seguir o “padrão” estético que a sociedade exigia. Com o tempo, não se conhecia mais, não se identificava e então decidiu passar pela transição capilar. “Fui aprendendo a responder as pessoas, então eu fui aprendendo a amar o meu cabelo natural”. Conheça esse lindo depoimento e compartilhe com todas as amigas que estão passando pela fase da transição.

Milena Wainer

“Cacho não é moda, cacho é amor! É identidade”

Até meus 13 anos meu cabelo tinha um cacho natural, e era bem grande e muito bonito. Porém, eu não sabia como cuidar do meu cabelo, e fazia rabo de cavalo para disfarçar.

Quando eu soltava e ia para a escola, ouvia críticas dos meus “colegas” o tempo todo: “vai voar”, “o meu cabelo é a sua sobrancelha”, “vai alisar esse cabelo, vai ficar muito mais bonito”, “parece uma palha!”.

Tudo isso me magoava muito, até que um dia contra a vontade dos meus pais, comecei a ser “dependente química”, entre alisantes, semi definitivas e eu me sentia bem, e principalmente, que finalmente tinha encontrado o meu lugar e não seria mais “zoada” na escola.

A sensação de não acordar mais tão cedo para cuidar do cabelo era incrível, e parecia que todas aquelas críticas haviam desaparecido.

Até que passaram alguns meses, e no salão fazendo relaxamento, o meu cabelo caiu, ele simplesmente quebrou. E na hora, o meu coração também se partiu, e em frente ao espelho eu via uma outra Millena, a arrependida.

Eu chorei e pensei que nunca mais teria o cabelo cacheado de antes, de novo, nunca teria a sensação de ver meu cabelo e me sentir bem. Eu tinha detonado o meu cabelo.

Criei receio e desgosto, passava a deixá-lo só preso ou nem desembaraçava. Eu tinha vergonha.

As críticas retornavam, ninguém procurava ajudar, apenas criticar. E aquilo me magoava. “Menina, o que você fez com o seu cabelo?”, “nossa, ele quando era cheia era lindo”.

E tudo que eu ouvia me serviu de experiência, o quanto fui “burra” em acreditar em opiniões, em não seguir meu coração e sim um padrão.

Um belo dia eu tive a coragem de novamente me olhar no espelho de um jeito diferente, com esperança. Era como se uma luz acendesse sob minha cabeça, e finalmente cortei!

Ficou tão curto que chorei, mas ao mesmo tempo com a esperança que ele voltaria.

Depois deste dia do corte, só vinha em minha cabeça que ninguém poderia acreditar mais em mim do que eu mesma. Hoje em dia ajudo dando dicas para outras meninas sobra aceitação e não desistir por mais que seja difícil. Mas, se amar é a primeira regra, é claro! Ter personalidade sempre!

Obrigada Salon Line por nos permitir e abrir espaço para fazer outras meninas acreditarem em seus sonhos, vale a pena!

Cacho não é moda, cacho é amor! É identidade.

 

transição capilar    cacho natural

Antes                                                                  Depois

 

Consumidora: Milena Wainer

Websérie Mulheres em Transição: 5° episódio

transição capilar

Luiza é a protagonista do 5°episódio da websérie Mulheres em Transição. Ela que já conheceu diferentes técnicas de alisamento, hoje sabe bem como é assumir os cabelos naturais e fazer com ele o que quiser. Como cabeleireira, aproveita para incentivar os seus clientes a entrarem para a transição capilar e a esbanjar os seus cachos e crespos por aí. Clique e confira para ver essa linda história.

Websérie Mulheres em Transição: 4° episódio

Mulheres em Transição

Conheça nesse episódio da websérie “Mulheres em Transição” a história das irmãs Gabriela e Beatriz, uma história de superação e autoconhecimento. Elas que não mudaram apenas o cabelo, mas também sua personalidade, e após a transição capilar aprenderam a se amar como são! Conheça esse lindo depoimento.

Websérie Mulheres em Transição: 3° episódio

Mulheres em transição

Conheça nesse terceiro episódio da websérie Mulheres em Transição a história de superação e autoconhecimento da Thainá, 12 anos. Ela que parou de ligar para a opinião das pessoas e decidiu seguir sua essência, sua origem e naturalidade, para assim, ser feliz e se amar como é!

Websérie Mulheres em Transição: 2° episódio

Mulheres em transição

Conheça nesse 2° episódio da websérie Mulheres em Transição, a história da Juliana. Ela, que após passar pela transição capilar, se encontrou e conseguiu achar a própria identidade. Hoje, vive uma linda e maravilhosa história de amor com os seus cachos.

Websérie Mulheres em Transição: Teaser

Mulheres em transição

A transição não é uma mudança fácil, vai muito além do visual. É uma fase de aceitação, identidade e amor que começa de dentro para fora. Acompanhe a websérie Mulheres em Transição e conheça várias histórias de mulheres guerreiras, fortes e incríveis!

Jessica Amorim

transição capilar se redescobrindo

“Tenho me sentido feliz e me redescobrindo mais e mais a cada dia”

Comecei minha transição porque não me sentia mais eu mesma com o cabelo liso, de chapinha. Estava me sentindo sem graça. Definitivamente, não era mais eu! Para dar um UP no visual, após começar a transição, fiz e ainda faço texturização constantemente. Quando vi os primeiros fios crescerem, fiquei feliz e surpresa.

Ainda não fiz o BC, estou com 4 meses de transição e não vejo a hora de fazer, pretendo fazer ainda no mês de julho.

As pessoas ficam dizendo que está estranho, e se tenho certeza que quero ficar com o cabelo ruim “duro”, rsrs… coitadas, não sabem elas o quanto tenho me sentido feliz e me redescobrindo mais e mais a cada dia!!